Publicado em Uncategorized

Sou tão pobre e tão rica também / Lia Helena

 

Eu sou pobre

Muito pobre

Destas coisas

Ditas como material

 

Destas estruturas

Que as pessoas vivem

E se deixam usufruir

De conforto e beleza..

 

Hoje eu ainda sou pobre

De bens materiais

Que indicam

sucesso

 

De uma estrutura

Que o mundo acolhe

E sacramenta

como valor…

 

 

 

E quero ser sempre assim pobre

Destes ícones sociais

Que transformam as pessoas

Em meros fantoches reprodutivos

 

Eu sou pobre

E serei sempre

Das coisas que a gente vive

E deixa o mundo

Cada vez mais mecânico.

 

Eu sou pobre

Assim como quem deixa

O mundo das estruturas sociais

Para viver a aventura

De ter como quintal de sua casa

Todo o universo à disposição

 

Eu sou pobre

De bens materiais

Que as pessoas gostam de ter

 

Mas sou rica,

Muito rica

De sentimentos que elas não tem

 

Rica eu sou

De afeição

Que agrega pessoas

Em torno de uma fogueira

Onde trocar e partilhar

É sempre um bem maior

 

Sou pobre

Destas máscaras sociais

Destas outras que

Falam da alma e do viver

 

Sou pobre

Como um andarilho

Cujo tesouro maior

São as lembranças

 

Mas sou rica

De luz e energia

Do mundo que me faz presente

Na imaginação revelada…

 

Sou rica sim

De idéias e movimentos

Que agregam valor

Do ser humano que goza a vida

Em seu eterno devir

 

Sou assim

Tão pobre de coisas..

Tão rica de amor..

Lia Helena Giannechini’s Copyright:
****************
Copyright :: All Rights Reserved
Registered :: Fri Feb 11 16:50:40 UTC 2011
Title :: Sou tão pobre e tão rica também / Lia Helena
Category :: Blog
Fingerprint :: 8c9835b792a74b4d79708e44ec1a3e1ebefc23d87aa77a1741ad95790a7af90f
MCN :: E7NYU-MFTB6-F8DNY
****************

Anúncios

Autor:

Lia Helena Giannechini Nasceu na cidade de São Paulo, Brasil. Viveu sua primeira infância no Bairro de Santana, residindo em Santos em sua adolescência, onde estudou no Colégio São José, compondo as primeiras poesias, com a influência de J. G. de Araujo Jorge, nos anos 60. A formação humanista, leva a escolha da profissão de psicóloga. Mora atualmente em Piracicaba, realizando um trabalho como Coaching Social e empresarial, donde nasce a experiência para o livro atual. É autora de um livro de contos, Doido, Eu? Editora clube dos autores, 2012, sobre mendigos e andarilhos, diversos artigos sobre psicologia e o Blog www.alemdooceano.wordpress.com, com todas as poesias e artigosque escreveu. Co-autora do livro Poesias Contemporâneas da Editora Matarazzo,de junho de 2016, com duas poesias inscritas. Sua primeira incursão no mundo das poesias. https://www.skoob.com.br/poesias-contemporaneas-ii-605894ed605932.html Foi convidada por Sylvio Rey Reboledoa ministrar os cursos de introdução ao psicodrama, para lideres comunitários em Cali, Colômbia, pela Casa de Justicia de AguaBlanca, onde recebeu o título de cidadã benemérita em Ginebra, Vale delCauca, pelos serviços prestados à comunidade, que a recebeu de braços abertos em 2010. Já ministrou diversos cursos próprios, como Mitologia Pessoal e a Roda do Zodíaco, Além da Extensão da Mente: Oficina de Criatividade, Mitologia Pessoal – oficina de desenvolvimento humano. Oficina de Coordenação e Desenvolvimento de Grupos, Oficina de Criatividade. Trabalhou como consultora de treinamentos, em empresas como Gerdau e Engebrás. É autora de diversos artigos para o Jornal de Piracicaba de 1985 a 1987. Seu trabalho atual como Coaching prepara o jovem adulto para empreender e transformar seu conhecimento em um negócio próprio, além de desenvolver fases para consolidar as carreiras de jovens profissionais. Seu trabalho com escritora desenvolve projetos com equipes da comunidade. Atualmente faz parte do clube caiubi de compositores, onde alguns parceiros musicam suas poesias, transformando a experiência de letrista, em um processo novo e criativo. Atualmente faz parte do clube caiubi de compositores, onde alguns parceiros musicam suas poesias, transformando a experiência de letrista, em um processo novo e criativo.

2 comentários em “Sou tão pobre e tão rica também / Lia Helena

  1. Lia,
    Belo poema.
    Quantas pessoas, eu creio, gostariam de estar podendo dizer as mesmas coisas e estão presas nas jaulas do sistema inventado em suas cabeças repletas dos vazios de regras ocas por si mesmo, morais que as derrotam e éticas que servem somente para uma máscara social. Pode ser que elas comecem a sentir a pontinha de inveja positiva e sintam que seus corpos vibram pela liberdade de SER. Pode ser que além de suas jaulas vejam que há outras vidas, INTEIRAS, brotando!
    Vamos abrir as portas e as janelas pros ventos, pros ares do mundo que são VIDA entrarem.
    Beijão
    erico

    Curtir

    1. Érico, obrigada por me visitar neste cantinho que eu tenho tanto apreço, e que faço um pouco para todos os meus amigos.. quando voce quiser, aqui tem um espaço pra voce.. vou te visistar lá no caiubi… beijos

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s