Publicado em poesias

Sinais da vida / Lia Helena

Parque da Cantareira onde passei minha infância

 

 

 Sinais da Vida

 

Trago traços,

De um bebê peralta,

De um berço que salta,

Para seu corpo

Em um abraço se entregar

 

Trago traços,

De criança serelepe,

Que pula e que desce,

Rolando escada além

Para o mundo encontrar

 

 

Trago traços

De uma meninice

Que tem as marcas de uma peraltice

Deixando o rastro de rebeldia

Que hoje já não pode calar

 

Trago traços ancestrais

De uma gente sofrida

Que acalanta no sonho

Sua arte a publicar para,

Um dia, viver sua consagração

 

Trago traços

 De meus pais

Que em sua simplicidade,

Deram-me  a chave de minha sensibilidade,

Pelas dores, a que a vida nos impôs viver

 

Trago traços

Revolucionários talvez,

Por não me conformar,

Com uma sociedade que, nas diferenças,

De seus filhos na arte, fazem abortar

 

Trago traços de meus filhos,

Que me ensinam todos os dias,

O dom das palavras não ditas,

Mas sentidas no coração

Que o mundo quer conquistar..

 

Trago traços

De meus netos.

Que carregam minha genética

E repetem em seus gestos

Tantas peraltices que eu já fiz

 

Trago traços

De uma adolescência rebelde

Que busca no corpo

A conexão perdida do aconchego de pai

E faz do gozo seu grito de paz

 

Trago Traços

 Das dores conectadas

Nos hospitais, com entes queridos

Que acompanho e consolo

Nos momentos de grandes fragilidades

 

Trago traços

Da Inteligência que se descobre

Num planeta tão vasto

Com tantas histórias,

Para contar..

 

Trago traços

De uma existência vivida

Com dramas e risos,

Para minha marca

No mundo deixar

 

Trago traços

De uma arte que não quer cala,

Na voz de um povo,

Que na esperança de um canto,

Faz-me encontrar

 

Trago traços

De mestres antigos,

Que no mundo pensavam

E no conhecimento revelavam

Sua conexão,para o mundo mudar..

 

Tragos traços

Que hoje já não os quero mais vivos,

E abandono meu conhecimento,

Para um mundo novo encontrar

 

Trago traços

De uma nova vida em porvir

E da dor e do pranto

Fiz meu canto

E agora vivo um mundo de paz

 

Trago traços,

De um enxergar ao longe

De um novo amanhã

E dele arrancar quanta formosura

Que a essência de uma história

 

 

Pode fazer amar 

 

Señales de vida

 

 

Traigo rasgos, 

De un bebé travieso 

Una horquilla que rebota 

Para, en un abrazo,

Su cuerpo entregar

 

Traigo rasgos,

De niña juguetona,

Que salta y que baja

Rodando escaleras baja

Para el mundo encontrar.

 

Traigo rasgos

De una infancia

Con la marca de las aventuras,

Con sus  rasgos rebeldes

Que hoy no guardan el silencio

 

Traigo rasgos ancestrales

De un pueblo que sufre

Que busca en el sueño

Su arte para mostrar

Y un día, poderse consagrar

 

Traigo rasgos

De mis padres

Que en la simplicidad de sus actos

Me dieron la llave de la sensibilidad

Por el dolor, que la vida nos impone vivir

 

Traigo rasgos

Tal vez revolucionarios

Porque no me ajusto

Con una sociedad que, en las diferencias

A sus hijos en el arte,, hacen abortar

 

Traigo rasgos de mi hijos

Quienes me enseña día a día

El don de las palabras no dichas

Pero sentidas en el corazón

Que quiere el mundo conquistar.

Traigo rasgos

De mis nietos

Que  llevan mis genes

Y repiten en sus gestos

Tantas aventuras que yo misma hice

 

Traigo rasgos,

De una adolescencia rebelde

Que en el cuerpo busca

El perdido afecto de la casa paterna 

Y hace del gozo un grito de paz

 

Traigo Rasgos

De los dolores sentidos

En los hospitales con los seres queridos

los acompaño y los consuelo

En  sus fragiles  momentos

 

Traigo rasgos

De una inteligencia que se muestra

En un mundo tan vasto

Con tantas historias

Para contar.

 

Traigo rasgos

De una carga de vivencias

Con dramas y con risas

Para mi marca

En el mundo dejar

 

Traigo rasgos

De un arte que no quiere silenciarse

En la voz de un pueblo

Que en la esperanza de un canto

Me hace encontrar

 

Traigo rasgos

De los viejos Maestros

Que en el mundo del pensamiento

Y el conocimiento revelado

Hacen su accionar  para  que el mundo cambie

Traigo Rasgos

Que ahora no quiero vivir

Y abandono mi conocimiento

Para un nuevo mundo encontrar

 

Traigo rasgos

De una futura nueva vida,

Y del dolor y la tristeza

Hice  mi canto

Y ahora vivo un mundo de paz

 

Traigo rasgos

En un mirar en lontananza

Un nuevo mañana

Y de su inicio sacar tanta  belleza

Que la esencia de esa historia

 

 

Hoy, de Amor me, permita hablar

tradución Silvio Rey  Rebolledo

 Manchola, poeta, escritor, Psicologo,

de Cali, Colombia

 

 

Lia Helena Giannechini’s Copyright:
****************
Copyright :: All Rights Reserved
Registered :: Sun Oct 24 07:18:34 UTC 2010
Title :: Sinais da vida / Lia Helena
Category :: Blog
Fingerprint ::
98077408c99c4c69fd470e4054c3f6c538a779b7903b647a7bc1db5336adc9ce
MCN :: EYF91-UBY9Q-BENU9

Anúncios

Autor:

Lia Helena Giannechini Nasceu na cidade de São Paulo, Brasil. Viveu sua primeira infância no Bairro de Santana, residindo em Santos em sua adolescência, onde estudou no Colégio São José, compondo as primeiras poesias, com a influência de J. G. de Araujo Jorge, nos anos 60. A formação humanista, leva a escolha da profissão de psicóloga. Mora atualmente em Piracicaba, realizando um trabalho como Coaching Social e empresarial, donde nasce a experiência para o livro atual. É autora de um livro de contos, Doido, Eu? Editora clube dos autores, 2012, sobre mendigos e andarilhos, diversos artigos sobre psicologia e o Blog www.alemdooceano.wordpress.com, com todas as poesias e artigosque escreveu. Co-autora do livro Poesias Contemporâneas da Editora Matarazzo,de junho de 2016, com duas poesias inscritas. Sua primeira incursão no mundo das poesias. https://www.skoob.com.br/poesias-contemporaneas-ii-605894ed605932.html Foi convidada por Sylvio Rey Reboledoa ministrar os cursos de introdução ao psicodrama, para lideres comunitários em Cali, Colômbia, pela Casa de Justicia de AguaBlanca, onde recebeu o título de cidadã benemérita em Ginebra, Vale delCauca, pelos serviços prestados à comunidade, que a recebeu de braços abertos em 2010. Já ministrou diversos cursos próprios, como Mitologia Pessoal e a Roda do Zodíaco, Além da Extensão da Mente: Oficina de Criatividade, Mitologia Pessoal – oficina de desenvolvimento humano. Oficina de Coordenação e Desenvolvimento de Grupos, Oficina de Criatividade. Trabalhou como consultora de treinamentos, em empresas como Gerdau e Engebrás. É autora de diversos artigos para o Jornal de Piracicaba de 1985 a 1987. Seu trabalho atual como Coaching prepara o jovem adulto para empreender e transformar seu conhecimento em um negócio próprio, além de desenvolver fases para consolidar as carreiras de jovens profissionais. Seu trabalho com escritora desenvolve projetos com equipes da comunidade. Atualmente faz parte do clube caiubi de compositores, onde alguns parceiros musicam suas poesias, transformando a experiência de letrista, em um processo novo e criativo. Atualmente faz parte do clube caiubi de compositores, onde alguns parceiros musicam suas poesias, transformando a experiência de letrista, em um processo novo e criativo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s